Atendimento Nutricional Personalizado - Palestra - Educação Nutricional - Consultoria para escola - Oficina culinária - Treinamento

A importância da amamentação


No primeiro ano de vida, devido à vulnerabilidade, dependência e fase de crescimento, a nutrição é fundamental para o adequado desenvolvimento e crescimento do lactente, principalmente a partir dos 6 meses de idade, com a complementação do leite materno que garante o bom desenvolvimento físico, neurológico e motor da criança.
Quando é necessário complementar ou suplementar o leite materno, devido à ingestão inadequada ou quando a mãe não quer ou não pode amamentar, o procedimento exigirá decisão clínica individualizada e se o bebê estiver no período inicial da vida, o recomendável é utilizar o Banco de Leite Humano ou introduzir a fórmula infantil, sendo a alternativa aceitável ao leite materno são as fórmulas infantis regulamentadas pelo Codex Alimentarius, que devem ser equilibradas e atenderem às necessidades nutricionais da criança, e para isso os grupos científicos e indústrias de alimentos lácteos têm alterado o leite de vaca, com o objetivo de aproximá-lo nutricionalmente do leite humano.

Aleitamento materno exclusivo é definido quando a criança recebe somente leite materno, gotas ou xaropes de vitaminas e minerais e/ou medicamentos e atualmente preconiza-se que sua duração seja de 6 meses,  pois atende todas às necessidades nutricionais e protege o lactente de várias enfermidades. A introdução oportuna dos alimentos complementares deve ser adequada, segura e apropriada, após esse período, e tem o objetivo de adequar as quantidades de energia, macronutrientes e micronutrientes, entretanto, o aleitamento materno deve ser mantido pelo menos até os 24 meses de idade.

A lactante, além de estar ciente das vantagens do aleitamento materno, deve ser incentivada à prática do mesmo, pois surgem vários obstáculos que podem levar ao abandono da amamentação, portanto, é necessário contar com apoio o de profissionais qualificados. O efeito anticoncepcional e a proteção contra infecções da amamentação prolongada são argumentos favoráveis da prática da amamentação além do primeiro ano de vida.
O aleitamento materno é uma prática biologicamente determinada que varia de acordo com cada cultura , que deve ser constantemente estimulada, desde o pré natal. O leite materno protege o lactente da desnutrição, dos processos alérgicos, da diarréia e da anemia.

Devido a ocorrência dos vários ajustes fisiológicos, uma atenção especial deve ser dada às defesas imunológicas e ao consumo adequado de nutrientes, que variam de acordo com os padrões individuais de crescimento. À medida que o sistema gastrointestinal aumenta suas funções e consegue digerir os nutrientes, a introdução de alimentos sólidos deve ser feita com atenção, em paralelo ao desenvolvimento do sistema nervoso central, que passa a reconhecer alimentos com várias texturas e aceitá-los ou não. O leite materno tem papel fundamental neste sentido, na medida em que seu sabor varia em função da dieta materna e prepara a criança para os alimentos posteriores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário